Tags

, , ,

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como legítima piauiense, cresci passando férias no litoral do PI.  Na minha infância e até bem pouco tempo atrás, os turistas do litoral eram quase totalmente piauienses.  Há mais ou menos uns 8 ou 9 anos o litoral do PI foi descoberto por europeus, que vinham em busca de natureza quase intocada e incluíam o PI nas aventuras pelos Lençóis Maranheses e Jericoacoara.  Parnaíba, a maior cidade do litoral, fica mais ou menos no meio do caminho entre os dois pontos (entre 2h ou 2h30 de cada) e forma com eles a Rota das Emoções.

Como Parnaíba fica a aproximadamente 4 horas de carro da capital Teresina e o aeroporto Petrônio Portela não é internacional, os turistas estrangeiros chegavam por Fortaleza, seguiam para Jeri e de lá para Barra Grande e Lençóis.  No ano passado o aeroporto de Parnaíba foi inaugurado após muitos anos e é possível chegar à cidade indo de avião a partir de Teresina e Fortaleza, o que torna mais viável uma escapada de poucos dias apenas para o litoral piauiense, caso deseje. Se preferir conhecer Jeri/Delta/Lençóis, é possível comprar passeios para os outros destinos estando em qualquer um dos pontos da Rota das Emoções e hoje em dia existem agências especializadas e bem preparadas para atender turistas de várias nacionalidades, com operadores fluentes em inglês, alemão, francês e outras línguas.

Os turistas que frequentam o nosso litoral piauiense ainda são predominantemente estrangeiros, o que me entristece um pouco. No entanto, graças a eles, houve uma transformação considerável na estrutura turística do litoral. Há alguns anos, o Piauí servia basicamente como passagem entre Jeri e Lençóis. Os turistas iam, ficavam um ou dois dias, faziam o passeio do Delta e iam embora porque as opções de hotéis, pousadas e restaurantes eram raras. Como havia acontecido em Jeri, muitos estrangeiros foram e nunca mais saíram de lá e vislumbraram em Barra Grande (a um pouco mais de 70km de Parnaíba) uma oportunidade de investimentos. Simultaneamente empresários locais começaram a investir em hotéis, restaurantes e pousadas. Isso mudou o papel de nosso litoral, que deixou de ser uma passagem e virou base para os passeios.

Ao contrário de Jeri, que cresceu desenfreadamente e perdeu um pouco a essência de destino rústico, os empresários que investiram em Barra Grande tem uma preocupação constante com o crescimento desenfreado. Uma vez perguntei a um deles “Vocês querem transformar Barra Grande em uma nova Jeri?” “Não, nunca! Queremos manter a calma e a essência rústica do litoral.”

Está se planejando para visitar a Rota das Emoções? Faça de Barra Grande a sua base! As opções de hotéis são muitas e boas, os restaurantes são ótimos e o preço ainda é bem mais amigo do que o que você encontra em Jeri. No site de Barra Grande você consegue muitas informações sobre hospedagem, restaurantes e passeios. Eu posso falar pessoalmente sobre a Pousada BGK, a mais antiga da região: é pé na areia, confortável, com ótimo atendimento e uma estrutura bacana de bar. Em uma ocasião me hospedei no Chalé Standard e no ano seguinte me hospedei no Chalé Beach Front (que tem o estrutura parecida com uma palafita alta e te possibilita ver o mar enquanto está deitado na sua cama) e indico muito o hotel para quem vai com crianças. Garanto que depois de cinco dias em Barra Grande você vai estar o mais relaxado possível.

No próximo post falarei sobre os passeios da região.

Anúncios